Entras em mim, sem me pedir licença!
Solto toda a minha adrenalina
em ti, em mim!
Somos vulcânicos, neste amor
que nos invade, que nos toma de assalto!..

De repente ,vejo-me, em teus braços,
pedindo mais e mais abraços,
beijos, todos os que puder
nesta saudade que me invade!

Sou Vulcânica!
Lanço lavas deste amor, em teu corpo,
neste espaço, em que me lanço contigo,
sem medo de me dar desta maneira
a ti que me tomas a boca, como maçã,
e a mordes, nervosamente, atingindo meu clímax,
nesta paixão tão doce e tão selvagem
que nos comparo a um vulcão quase extinto,
que acordou e cujas lavas são tuas
e não mais se apagarão, não mais se secarão
neste amor tão frenético, onde construiremos
nosso mundo, neste frenesi de amor!..

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"


 
 

 

::: Envie essa Página :::

 


CrysGráficos&Design