Você é minha luz do nascente e do poente,
impregnada em meu ser
que, às vezes ,chora
pela falta de você!
Quantas vezes o procurei,
nas madrugadas frias,
Nada encontrava!..
Só um permeio fraco,
uma réstea de luz pequenina
invadia meu quarto,
me dizendo que ainda estava ali,
sob forma de encantamento
se fazia notar.
Abria a janela, para ver lá fora,
uma estrela ainda brilhava
devia ser você!..
Fechava a janela,
chorava pela sua falta,
pelo seu carinho que tanto precisava!..
Nada havia!
Nada!
Só a falta de você!..

Eda Carneiro da Rocha

 

 

 

Formatação/Arte Final: Crys

Imagem: Ultimate