Não sou mais o que era
Não és mais o que foste!

Duas almas paralelas,
perdidas,
desaparecidas,
achadas,
neste torvelinho
que nos leva,
nos embala
nos mesmos braços
de outrora!..

Vivo de saudade.
de mim, de ti,
de nós
de nosso amor!

Saudade,
de nossas rimas gastas,
mofadas, vazias,
nesta tarde fria
em que tudo sobeja vida!

Saudade
de tempos idos,
do pássaro na janela,
da borboleta na flor,
esperando seu amor!

Resta apenas nesta vida,
acabar com esta saudade
que me embriaga, me mata,
me alucina!

Vem!
Dá-me teu calor!..
Toma-me, em teus braços
num abraço de amor.

Viveremos de saudade,
para não morrer de dor!

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

::: Crysgráficos&Design :::