Como vento de Amor
Conduzes-me aos céus
Neste pranto que me induz inteira

Vem, Vento, sem Ventania
Suave, brando, leve
Como Barcarola de Amor

Nesta suave canção
Plena com nosso coração
Ouves-me passar como vento

Voaremos neste espaço
Como aves num abraço
Colados, unidos presos

Jamais soltos neste espaço
Só nosso onde viveremos
Ao som deste compasso

Vento, vem depressa
Diz a ela todo meu lamento
Todo meu amor-flor!

Vento, Vento, companheiro
Abraça-me inteira
Fala-lhe do meu Amor!


Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"



 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::