Vem, amada!
Ouve meu canto de amor,
doce e sereno!..
As flores aspergem seu odor.
Na mata, Borboletas mil,
me espreitam,
me volteiam,
me falam de ti!..

Vejo-as e penso:
São diáfanas e transparentes,
embalam docemente,
meu sonho de amor!..

Distante estás!.
Não ouves os meus lamentos,
meus tristes ais...

Espero-te, mais uma vez...
Nosso ninho já está pronto.
A Lua me contempla, me diz:
" Será que ela vem"?
Não o sei também...

Esperamos,
nessa floresta encantada,
eu e as Borboletas,
por um carinho,
por um beijo teu,
nesse dia escolhido,
nessa noite de luar,
onde tudo nos faz amar!..


Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"






::: Menu ::: Voltar :::


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

 

CrysGráficos&Design