Uma Zínia pequenininha
Que só pedia amor
Ficou a cismar...

Minha flor amanhece
Para dar Felicidade e Alegria
Aos que sabem me olhar...

Passam sem sequer me ver
Zínia, florzinha , na beira da estrada
Nasço sem chamar atenção
Pensou com seus botões

Uma criança linda a viu
A olhou e a beijou
Lábios de mel
Que flor bonita!
Disse-lhe sem pedir nada...

A Zínia se reergueu
Se transformou
Amou aquele momento
E como a Borboleta se transmutou.

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"



 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::