Sonho que Vai

Tomei meu tempo
no tempo que vai
que lava minha alma
nos corredores da vida.

Pus-me enfileirada
a contemplar
os percalços da partida.
E fui, sem olhar pra trás.

Agora, só futuro
certo ou incerto.
Caminhar sempre pra frente
sem olhar pra trás.

Guio-me pela intuição
sagrada.
Nada mais posso perder,
depois do tempo que passei.
Velado, morto, num passado insone,
insípido, amargo e esquecido.

Contemplo do alto
minha melodia.
Vida cansada,
gerada da dor.
Do pranto que verti
e que não deu pra
por tudo pra fora.

Como um dardo
caminho sem direção.
Do passado
não quero nada.
Só você
que é minha inspiração.

Eda Carneiro da Rocha


 

 

 
CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!