Quero apenas uma palavra
se me amas ou não,
para que acabemos de uma vez
com essa história de amor...

Amor não se fabrica
sente-se, nasce, corre
dentro de nós
qual chuva que escorre
no nosso cabelo,
primavera florida,
borboletas que se vão
para fora de mim!
Não quero não!

Ah! Amar!Assim, não quero te amar!
Quero a esperança que não finda
para viver os dias meus,
mas estes dias não são teus,
pois não o queres,
e sim lembrar-me
tudo que não tenho
e que não pode ser sentido,
queiras ou não.

E eu o sinto, pois prisioneira fiquei
deste amor.
Suave, não passageiro.
Não é chuva de verão,
antes lareira crepitando
a brasa a arder
que transtornou meu coração

Tomaste-me pela mão,
brincas com meu coração
e dizes: " Entendo!
Nada entendes.
Finges que entendes
mas são sentimentos criados
e formados,
desses que não saem
de jeito nenhum
só se Deus o quiser.

Resta-me, então, a esperança
de que Deus me tire de ti
para que possa viver,
amar, chorar, rir,
rir de amor e por amor,
mas um riso
que é meu e não teu.

Eda Carneiro da Rocha

 

 





 
CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!