Sem pudor, com amor,
acasalo-me em teu corpo,
ardente,
brasa viva,
que me pede a seqüência
de um prolongado tesão!

Dou-te tudo que possuo,
sem evasivas!
Beijo-te, deslizo
entre tuas curvas,
no teu côncavo e
teu convexo!

Escuto sinos tocando,
em meus ouvidos,
pirilampos cheios de luz,
querendo queimar meus sentidos!

Como Amor,
penetro em teu âmago,
conheço os passos
que me levarão a ti,
sem pudor,
com Amor!

Finalmente ,cheguei ao máximo!
Encontrei-te, cadeia una,
que incendiou meus poros,
me queimou todinha,
me possuiu,
me deu vida,
Me fez Amor!

Eda Carneiro da Rocha

 


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!
 

Formatação/Gráficos: Crys

Imagem: Stockphoto