Corpos, planando, acasalamento divino,
dançamos nesta orquestra triunfal
esta música divinal que nos leva
não sei aonde, nem os porquês...

Como macho ousado,
cingi tua cintura
te procurei num momento,
fazer eterno nosso juramento!

Neste enlace magistral de dois corpos
amados, amantes, esperando o clímax:
pássaros acasalados à espera do ninho,
acobertados, levados a estranhas paragens,
para amar, na reviravolta da vida!.


Eda Carneiro da Rocha
” Poeta Amor”


 

 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::