Perdida, caída, mas não sucumbida,
renasci, como fênix das artes e do lirismo!
Bati minhas asas e ousei um vôo maior,
onde ninguém pudesse me alcançar!.

Voei céus e mares,
pôr de sóis e despontar da vida.
Caí, qual fêmea ferida,
sem desistir de nada!

Poesia é minh'alma!
poesia é minha vida,
meu lirismo que me impregna
até as partes mais inatingíveis
do meu ser!.

Não adianta querer me crucificarem.
Tomo a cruz, como exemplo.
Peco e não nego,
mas por amor encontrado,
desavisado,
que nasceu
de uma grande dor!..

De um abandono,
de atos e palavras,
fiquei órfã.
Tomei só minhas asas,
persegui vôo.
Encontrei minha dor e... meu Amor!..

Eda Carneiro da Rocha

 

 

 


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!
 

Formatação: Crys

Imagem:Phillip Deck