Queria tanto te fazer um poema,
mas , hoje, não consigo escrever...
Não esqueço essa saudade que me maltrata,
esses teus olhos nos meus,
essa boca que amo tanto beijar,
esse corpo que fico a desejar!..

Esse espaço do nada que se faz latente,
em minha vida onisciente,
à procura da tua, presente,
que chego a pensar que não mais existes,
que és virtual, que te invento, que és lembrança
de um passado findo, com um futuro vindo!

Ah! Deixa-me te amar!
Deixa-me sonhar!..
Não mates os sonhos meus,
pois eles são só teus!

Na efêmeridade da vida,
construí um castelo...
Que não seja sobre a areia
que irá levá-lo,
pois o que mais quero
é reviver nossos momentos,
ir ao teu encontro, como flor,
onde depositarei meus lábios
que são só " Amor"!..

Eda Carneiro da Rocha



CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!