No âmago de minh'alma, entraste,
como quem nada quer...
Só roubar pensamentos e emoções,
de minha vida!

Sorrateiramente te alojaste, tomaste espaço.
Entraste no silêncio de minh'alma
que não podia falar!..
Porta fechada, coração dorido, para amar!..

De longe trouxeste a Esperança,
apesar do roubo de um coração desavisado
que nada mais esperava
a não ser o encontro de um novo amor!..

Foi quando me deparei com uma saída:
Uma porta que me daria acolhida...
Seria um futuro incerto?
Talvez...

Mesmo assim,
abri a porta da minha esperança,
embarquei em teus braços,
trazendo, antes que esquecesse, uma cestinha,
onde havia posto toda a minha gama
de emoções e flores para te ofertar:
margaridas, açucenas, miosótis,
verbenas,hibiscos e rosas de todas as cores:
amarelas, vermelhas, azuis, tão raras,
e embarquei no meu sonho.

Abri a porta, segui contigo,
para uma nova vida!..
"A da Esperança"
que me fará feliz.
Seremos nós e mais um,
como companheiro:
Nosso querido "Amor",
sincero e verdadeiro.

Eda Carneiro da Rocha

 

 

 

 

 

Formatação/Gráficos: Crys

Imagem: comteche