Pássaro Sedutor

Na taça da Felicidade,
na orgia dos meus poemas,
rasguei véus do impenetrável,
fiz-me de moça carente,
te procurei na minha ilusão,
de só ser um Poeta Demente!

Vilão atroz,descubro-me
para quem entende o que não posso entender:
"Minha Loucura Demente,"
ao te procurar
que é o que não queria!
Mas, Mulher, ai de mim,
sem teus beijos,
sem teu olhar utópico
que me esparrama como gotículas de chuva
que deslizam na vidraça de minh'alma!..

Luto e lutarei
para não mais ser esse poeta
vilão que me cognominas!
Tenho alma,
sinto o fogo latejar nos meus
sentidos.
Ardente, como brasa
quero te beber toda
num cálice real,
pois de fantasias impregnadas
já não posso mais viver!..

Vem, deixa que te sugue dos pés à cabeça!
Serás minha, nem que por um momento crucial de dor,
mas teremos amado.
E após esse gozo infernal,
poderei até morrer,
pois, corpo saciado,
alma demente,
te entrego o que já não mais tenho:
" Meu Coração"!

Eda Carneiro da Rocha