Ode à Criança

Criança sempre amada,
sempre querida
no meu coração
onde palpita
vida!

Vida infantil,
onde vejo
cantigas de rodas,
pezinhos sujos
a bailar, a bailar
no meu coração.

Criança querida
como te amo!
Jamais esquecida
sempre presente.

Fazes parte
de todo meu mundo
que amo e
sempre amarei,
pois, amando-te
criança
amo-me a mim.

Festinhas infantis,
balões coloridos,
presos no ar.
Na minha fantasia
vejo-os ainda
na sala de estar.

Meu pai também sorria
minha mãe me encantava
com mimos e presentes
que não mais tenho agora.

Não sou mais criança,
só na lembrança
do meu tempo de outrora.


Eda Carneiro da Rocha