Levanta, poeta!
Mostra a todos que não morreste!
Que farás as mais belas poesias de Amor!
Que nunca foste vagabundo,
mas que levas a dor do mundo
em cima dos ombros teus!

Por esse versejar com teu pinho,
pensam mal de ti!
Não sabem que compões a Vida!
Que teu Amor é dado a todos os transeuntes!
Que olhas a Lua, como companheira,
e pedes às Estrelas que não sumam dos dias teus!
Que fazes versos, as vezes, mingüados de Esperança,
e, no entanto, só dás a Paz
dos dias meus!

Levanta, Poeta!
Mostra a essa pleiade o que podes fazer,
mesmo estando mudo!
Tira a mordaça que te impuseram
Grita toda a tua dor,
sinta todo o Meu Amor,
mas não morras, Poeta, por favor!


Eda Carneiro da Rocha






 

 
CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!





Art Design: Formatadora de Sonhos

Imagem Flawer: D. Macaris