No Meu Jardim é Natal!

Escuto a cigarra,
canta, canta,
como se fosse estourar de dor
de amor!

Sua força é vibrante.
A natureza conspira.
Desce o crepúsculo,
as flores se acalmam
com a brisa fresca
que desce.

Escrevo no meu mundo,
quietinha, sozinha.
A casa está imersa
no mais completo silêncio.
Só ouço a cigarra que se acalmou
e seu zz, zz, zz,
é música para meus ouvidos.

Lá vem o Natal, Natal de amor,
de flor, de cigarras cantantes
neste mesmo jardim mágico.

E, Cristo desceu
para me falar agora.
O momento é por demais sublime!
Aroma de flores, noite que vem e Cristo também,
para me saudar e me dizer
Filha minha, eu te curei!

Então, é Natal
brindemos pois
ao menino Jesus e
a Jesus menino.
Podemos comemorar!
Na minha árvore
há muitos presentes:
há vida para vocês
beijos e abraços,
carinhos e afagos.

Então, meus amigos,
orai, pois é Natal
e Jesus nasceu!

Eda Carneiro da Rocha