Nesta profusão de rosas
Sinto meu corpo fenecer
Na ânsia de te querer
Mulher, amada minha!

Sinto teu respirar
Transbordando de paixão
Sobre o meu coração!

Sobre meu peito
Travesseiro de sonhos
Alma de poeta que tudo sente
Que tudo pressente ...

Se fosses minha agora, morreria de prazer
Cantaria com o chilrado mais belo
De todos os pássaros da natureza...

Me transformaria em poço mágico
Onde matarias tua sede te dando
Da água milagrosa dos amantes

Tu a beberias e nos transformaríamos
Em Miríades de Estrelas, de Luz no firmamento.

Ah! Mulher Amada Minha!
Vem e acaba de vez com este tormento...

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"


Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::