Não Entendeste Nada

Nada entendeste de tudo que escrevi,
passaste ao largo da minha vida
e não entendeste nada.

Nem a resposta querida
sentida
nada veio.
Meu peito se abriu
qual rocha ferida
de amar e amor.

Como poderei explicar
o que se passa nesse coração
quando nada entendes
do que quero dizer?

Falei, gritei, chorei
nada adiantou,
porque sequer perguntaste
o tamanho do meu amor...

Peguei um medidor,
visto era preciso
que soubesses
o tamanho do meu amor.

Surpresa minha!
nada perguntaste.
Nem se estava bem,
se havia vivido ou morrido,
porque não tiveste a vontade
a saudade de entender
o amor que sinto
hoje, agora e sempre.

Por isso, não é necessário perguntar
o porquê dos meus ais,
dos meus lamentos,
do meu coração que chora
piegas, sim, confesso,
mas é por amor do meu amor,
porque não entendeste nada...

Eda Carneiro da Rocha