Dispo-me de todos os meus sentimentos,
terra seca, árida, a vida me tornou!
Fêmea ,caminho só, à procura
do meu acasalamento...
Na minha sempre sozinhez te procuro!..

Só há uma verdade:
Não te tenho!
Nem sei, se te terei um dia!
Não tenho mais hora, hemisfério,
ou qualquer lugar...

O caminho se tornou igual,
a vida sem sabor,
nosso mel perdeu seu adocicar,
para os nossos corpos poderem se amar!

Que farei?
Esperar, esperar...
Refrão contínuo, rege essa orquestra,
uma música inacabada : "
" Sinfonia da Espera"!..

Quem sabe, te terei...
Em braços ternos te amarei,
em colo inesperado cairei.
Sem esperar, num milagre de Amor:
Te amarei!..

Eda Carneiro da Rocha



CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!