Foram surgindo pouco a pouco,
raros, aumentando, me embelezando.
Tomei da vida meu tempo de embranquecê-los
de vê-los, como castanhos do tempo de outrora.

Nem sei mesmo, quando os vi primeiro.
Nasceram, cresceram, vivificaram-se
na raiz branca, mista, pois não os tenho brancos.

Meus cabelos brancos mistos me emolduram.
Um ar de senhora, sem que eu me julgue tal.
Mas todos me chamam de senhora,
nem sei se pelos meus cabelos brancos.
ou por eu ser mesmo senhora, como o sou!

Ah! Meus cabelos brancos, deixe-me amá-los,
nesta nova fase de vida,
em que tudo me é permitido,
por meus cabelos brancos, nascidos
que me fazem ser o que sou.

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor "



 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::