Como queria ser menino,
deixar rolar pelo chão meu pião
minhas bolas de gude, na calçada
e gritar: Marraio! Filidô! Sô rei!

Ah! minha meninice de moleque
Comprar coco partido, na quitanda
e pedir pedras de gelo, pra chupar..

Tomar muito picolé
até ter a boca dormente e dizer:
" Quero mais! " Quero Mais"!
Que calor!"

Olhar as meninas catitas
que passavam e me davam bola
e eu orgulhoso ,qual moleque cheiroso,
já encenava calças compridas...

A matiné de domingo,
o algodão doce, o bala baleiro
" Quem vai comprar"?

E assim comprava ilusões
n um saco de pipoca
e o estourava sorrindo até cansar...

A zoeira da praça
a carona dos bondes que passavam
e o trocador atrás dos seus tostões

Ah! Como queria ser menino!
Não ter nada na cabeça
só amor de pai e mãe
e jurar para o seu padre
que não pecava mais...

E os beijinhos, na Ritinha,
escondidos atrás do muro...
Beijos poéticos
de estalar suas bochechas.

Estou aqui, meus amigos,
jamais os deixarei
meu pinho está parado
mas a festa continua
no bailar celestial
que recomponho,
na minha outra vida.

Vim para marcar presença
e para dizer que os amo
que jamais os deixarei
nessa ciranda da vida,
pois adeus, não há!

É só uma viagem
até o próximo bonde
onde nos encontraremos todos,
uma outra vez!

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"








 
 

 

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

CrysGráficos&Design
Webmaster e Designer:Crys