Como ser vivente, quero também ser criança.
Voltar àquele tempo, onde fui feliz!
Pés descalços, sem de nada saber,
olhava o tempo, sem nada entender!

E o Senhor Tempo foi passando,
rasgando mágoas, trazendo-me o Amor
que sempre quis.

Não um amor fácil, na vida.
Antes um amor complicado
que não me dava margem
à vida que eu desejava.

E, assim, o Tempo foi passando,
Senhor Altaneiro, Dono do meu Destino...

Até hoje, procuro meu tempo de ser feliz,
de brincar de menina-moça,
de te abraçar e te beijar,
sem ter nada para pagar.
Apenas o tempo de ser feliz!

Eda Carneiro da Rocha
” Poeta Amor”


 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

Imagem Top:12479954863_femmes

::: Crysgráficos&Design :::