E com um sopro mágico, em minha mão, te coloquei.
Queria apenas te ver, num passe de magia,
nesta eterna nostalgia e nos meus tristes ais!..

Olhei-te e vi teus olhos que imploravam
meu corpo, meu ardor!
Te cingi, num compasso ,
descompassado e duo
que me fez fremir de amor!..

Desejei-te um só momento
que daria para matar toda a sede deste desejo.
Te vi nua, despojada, minha,
entregue num desvario total!..

Seríamos apenas nós sem nenhum intervalo
neste palco da vida, em que sempre te vejo,
na minha mão, tão pequenina e pura,
abandonada a mim que te procuro insanamente,
neste desvario desta saudade
que me faz chorar a ausência tua,
em que te coloco, nas asas da imaginação,
na palma de minha mão!..

Eda Carneiro da Rocha

 


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!