Raio de Luz
Auber Fioravante Júnior

Oh! Utopia das marés,
Entre assim, sempre branda
Como a chama da vela no castiçal
Quebrando o silêncio das paredes,
Mesclando letras e raio de luz!

Em versos sem mágoa,
Mergulho no eco dos fragmentos
De um velho poema escrito sob o firmamento,
Numa noite cheirando à primavera,
Entregue ao busto, ao condão angelical!

No virtuosismo da magia,
A composição alimenta-se do ópio
Impregnado entre os tecidos,
Ora sobre a solitude serena
Feito a brisa mexendo as cortinas sem voz!

A música ainda toca
Pelos sopranos pífaros, aliviando a dor,
Matizando meus lamentos,
Compondo em clave de sol todo sentir
Vindo da aura, do âmago em sofreguidão!

09/02/2012
Porto Alegre – RS


Compondo em Clave de Sol
Eda Carneiro da Rocha
” Poeta Amor”


Com pífaros dos mais delicados
aos meus ouvidos,
Ouso fazer deste poema ,
uma Sinfonia que não me traga dores,
Só me traga amores de todos os que já vivi!

Das noites de Primavera, a saudade
que também senti.
Do ópio, meu alimento divino,
esparso nos interstícios de minh’alma
que ainda chora, na magia de minha vida,
tão sentida, que se chama: ” Utopia”
da mais bela e prometida…

Serás o meu eterno ” Raio de Luz”
Nas letras mais poéticas,
Na vela bruxoleante
No amor não vivido.
Só sonhado
Espargido
em gotas de luz
na minha vida
com a tua angelical!

Eda Carneiro da Rocha
” Poeta Amor”

::: Menu ::: Voltar :::


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!

CrysJuanGráficos&Design