Peregrino

Nas noites e nos dias, peregrino
Em busca de uma tal felicidade
Que pode estar no campo ou na cidade,
Vestindo roupa de homem ou de menino.

Se caio por azar ou desatino,
A queda me sustenta na lealdade
Da dor que dói em tantos, e me invade
O sonho de eu chegar ao meu destino.

Saber não sei que passos dessa estrada
Vão corrigir meus pés nesse meu rumo
Sob estrelas luzindo em madrugada...

Há tanto a descobrir... E até presumo
Que tudo o que já vi é só um nada...
Mas o torto que sou anseia um prumo!


Cartas de alforria
Escritos de Regina Coeli


Anseio Um Prumo

De tanto vagar e percorrer caminhos
caí no mais completo desalinho
Ansiando encontrar a " Felicidade"
Onde só acho a Eternidade

Muitas vezes sossobrei ao meu destino,
te procurando qual fêmea temerosa,
esperando surgir na madrugada
teu vulto peregrino, onde sou nada

Estrelas sorriam a minha frente
junto a minh'alma benevolente
nada encontrando que me sustente!

De tanto sofrer a dor do meu intento
Presumo não ter mais nada a descobrir
Ansiando meu prumo a seu contento!

Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"

 

 

Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

 

::: CrysJuanGráficos&Design :::