Deixa-me ser o orvalho que te refresca,
quando o calor te incomoda!
A visão de teus olhos, quando dormes, e,
estás cansada!
A caridade pura, quando estás ocupada
O Amor Sereno que te leva à Paz!

Deixa-me ser tudo e nada.
Quero te matar a sede, quando sedenta estás.
Te dar um beijo e te fazer amor.
Valsar, no espaço, como amantes queridos,
colher a flor do meu inesquecível amor!..

Já desisti de lutar!..
Te aceito, em minha vida ,
hoje, amanhã e depois..
Quero te dar as mãos.
Toma, enquanto é tempo.
Meu coração leva-o contigo,
cuida dele, para que não morra,
sem antes te ter pertencido!..

Eda Carneiro da Rocha




CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!