Como correnteza suave,
impregnas em mim,
tua alma que chora,
deixando cair
lágrimas salpicadas de amor,
querendo formar um rio
de tristeza e saudade tão grandes,
não suportando mais
essa ausência inalterável..

E, caminho, perseguindo sonhos alados
que me levassem até a ti,
se voasse, pudesse!..
Mas, como sou ave pequenina,
mal consigo alçar vôo!..
Me perco, em meus pensamentos,
te procurando,
não te achando,
não juntando meu mel ao teu
que nada encontra a não ser esse vazio
dentro de mim!..

Foi, quando vi um rio,
não caudaloso.
Antes riacho,
cantante,
alegre,
mavioso
que me ensinou a te encontrar na vertente,
me dando forças para continuar
a busca do meu eterno caminhar!..

Eda Carneiro da Rocha

 

 


CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!