Deixa que eu faça a matinal
Colheita dos teus sonhos de
Aurora, e guarde para a noite
O orvalho plangente do Luar.

Ora... ora bem, vamos embora
Abraçados neste teu lindo sonho
Espargindo a florida canção
Deste amor que nos deleita...

E sentiremos ao raiar desta beleza,
Neste esplendor da virgem natureza,
A glória de eternas sinfonias!

E cantemos do amor, sol, mar e luar..
Como o ar da harpa dos teus sonhos,
Deixa que as ilusões passem cantando!


Efigênia Coutinho

::: Menu ::: Voltar :::

 

CLIQUE PARA RECOMENDAR ESTA PÁGINA!




CrysGráficos&Design